A indústria farmacêutica tem apresentado um forte dinamismo nos últimos anos, ocupando paulatinamente uma relevância cada vez maior na economia uruguaia, e dentro das exportações como produto não tradicional. O setor destaca-se tanto pelo pessoal qualificado que ocupa, como pelo valor agregado que gera, como também por ser uma das principais indústrias propulsoras da inovação e a investigação.

As colocações do setor apresentaram um crescimento médio anual de 8% na última década, a relevância destas exportações pode ser apreciada no Gráfico abaixo:

Exportações uruguaias de produtos farmacêuticos

2007 – 2018 – (Milhões US$)

01-08-2019-1

As exportações totais do setor em 2018 totalizaram US$ 227 milhões;  as vendas desde Zonas Francas  totalizaram US$ 97 milhões.

Tendo se realizado nas Zonas Francas atividades relacionadas com o fornecimento de serviços logísticos e de packing para indústria farmacêutica, entre outras atividades.

A operativa consiste no envio de produtos farmacêuticos, seus excipientes ou matérias primas as Zonas Francas, desde onde após realizados distintos processos de valor agregado (condicionamento, fracionamento, etc.), se reenvia para outros países, declarando-se a mercadoria como um trânsito. A principal empresa que concentra as exportações deste tipo de produtos no regime de trânsito, e MegaPharma.  A empresa transnacional foi formada por uma aliança estratégica de empresas farmacêuticas entre os laboratórios Roemmers, Rowe, Poen, Medihealth, Panalab e Raymos, dentre outros.

A empresa exporta a produção de sua própria planta, que e uma das mais modernas de América Latina, cumprindo com os mais exigentes estândares da indústria.

Com relação às origens dentro das vendas desde Zonas Francas, estas tem ganhado participação ininterruptamente desde o início de atividades em 2012. Nesse ano representaram  47% das vendas desde Zonas Francas, em 2018 a totalidade das vendas surgiu de zona franca o que mostra uma forte e progressiva concentração das atividades industriais do setor.

Com relação aos destinos, as exportações do setor desde Zonas Francas apresentam um alto conteúdo regional, com América Latina e América Central concentrando 65% e 30% das vendas totais, respetivamente. Já a distribuição por país mostra que Equador participa com um quinto das vendas externas desde zonas francas. No  caso concreto de Panamá, que recebe 18% das exportações desde Zonas Francas, cabe destacar a caraterística logística do país, pelo que pode inferir-se que parte das vendas se destinam  posteriormente a outros destinos regionais.

Exportações do setor farmacêutico

por destino desde Zonas Francas

(Milhões US$ – Ano 2018)

01-08-2019-2