blog-05-12-2019Enquanto a volatilidade econômica e seus vaivéns diários impactam o dia a dia das empresas exportadoras argentinas, o Parque de las Ciencias, localizado em Uruguai, tem se convertido num refúgio escolhido por aqueles que desejam otimizar suas ganancias e diversificar seus recursos. Com um investimento perto aos US$ 200 milhões, o prédio de 55 hectares onde funciona este empreendimento, localizado sobre a Ruta 101, a 1.5 km do Aeroporto Internacional de Carrasco, está dividido em vários sectores: edifícios de escritórios; edifícios aptos para atividades logísticas e industriais, e inclusive terrenos disponíveis para desenvolver empreendimentos próprios. O perfil das empresas que operam ali e heterogéneo. Por exemplo, no prédio funciona Aurora, uma das três principais empresas canadenses da indústria de cannabis do mundo que estabeleceu o primeiro laboratório da América Latina que processa produtos farmacêuticos derivados de cannabis e o qual e considerado como um dos “unicórnios do cannabis”. Graças ao regime de Zonas Francas e segurança jurídica, podem se instalar e dirigir seu negócio a nível regional ou mundial com importantes benefícios fiscais e alfandegários. Regulamentado pelas Leis de Zonas Francas 15.921 e 19.566 o regime de Zonas Francas estabelece que as empresas em zonas francas tem zero imposto de renta e patrimônio; não pagam IVA sobre os bens de uso que compram nacionalmente; não pagam impostos de importação sobre as matérias primas, mercadorias ou equipamentos que tragam do exterior; não são passiveis de retenção alguma sobre a distribuição de dividendos aos acionistas e não tributam impostos ao momento de exportar.

Nas Zonas Francas podem-se instalar empresas que se dediquem a comercialização, armazenagem, acondicionamento, classificação, fracionamento, montagem, e outras relacionadas com a instalação e funcionamento de estabelecimentos fabris. Prestação de todo tipo de serviços, incluindo serviços profissionais, financeiros, de informática, e de reparações e manutenção, todas orientadas a exportação.

O regime de zonas francas uruguaio resulta interessante por ser um regime jurídico de promoção de investimentos que tem mais de 90 anos de história, uma política de Estado que oferece estabilidade jurídica, econômica e política, que tem impulsado e protegido os investimentos estrangeiros. Todo este sistema faz com que um exportador argentino ou brasileiro, pense em proteger o futuro da sua empresa colocando parte da sua operação em uma zona franca protegido de qualquer tipo de inconvenientes”, explica o empresário argentino impulsor e diretor do Parque de las Ciencias, Sr. Leonardo Wehe.

Para Wehe, Argentina apresenta serias complicações para exportar, não somente pela instabilidade econômica como pela impossibilidade de planificar a futuro; e o interessante do regime de Zonas Francas em Uruguay e que além de ser muito atrativo pelos benefícios o mesmo e altamente flexível. Temos clientes de distintos países, como Canadá, Suíça e Israel, que utilizam o regime de formas muito diferentes”.

Por outra parte Antonio Bouzada, Gerente Geral do laboratório Eriochem S.Z, (com matriz em Argentina) explica que uma das principais questões a ter em conta antes de se radicar e prestar atenção ao item recursos humanos, seleção de pessoal, capacitação, dentre outras. Esta filial está na sua etapa final de produção de seringas pre cheias: ainda não está em operação visto está na etapa de validações e qualificações. Porem estão sim realizando produção de packing e começaram a exportar a distintos países, especialmente Brasil. “Devo destacar a agilidade que apresentam as operações de exportação e importação desde e para Parque de la Ciencias”, explicou.

Para Jorge Colotta, Gerente Geral da agência de publicidade internacional Young & Rubicam, “A presença em Parque de las Ciencias nos impactou muito positivamente por que e uma porta ao mundo do desenvolvimento e do crescimento. Desde aqui brindamos nossos serviços em condições muito favoráveis. Parque de las Ciencias e um espaço no qual as empresas agregam valor mediante a investigação, conhecimento e a inovação. Ainda destacou que a cercania com Argentina e Brasil possui condimentos especiais que fazem atrativo radicar-se em Uruguai”.

Desde a inauguração do Parque de las Ciencias, em 2011, se radicaram 60 empresas, foram gerados 750 empregos diretos e outros 250 indiretos. Longe de parecer algo inalcançável para as empresas argentinas e brasileiras, isto representa uma interessante oportunidade: não só na procura do crescimento por via das exportações e do desenvolvimento industrial, sino pela corta distância entre os países, o qual beneficia a logística de distribuição.

(Fuente www.perfil.com).