Enquanto negocia os detalhes de uma possível aliança com a União Europeia, o Mercosul busca também cortejar a China e o México. Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai – sócios fundadores do bloco aduaneiro – concordaram em retomar as negociações com o gigante asiático, paralisadas há mais de uma década, confirmou a ministra das Relações Exteriores argentina, Susana Malcorra.

“Decidimos, e eu fiquei com o mandato como presidência pro tempore, de avançar sobre o que havia sido feito com a China. Isso ficou parado em 2004. Estamos revisando o que ficou pendente nessa ocasião para ver como podemos retomar essa conversa com a China”, afirmou Malcorra.

Após a sacudida com as mudanças políticas na Argentina e no Brasil, os principais sócios do bloco que estiveram mais de uma década sob governos de centro-esquerda, e da suspensão da Venezuela como quinto membro, o Mercosul concentra suas energias para a conquista de novos mercados. “A China é um país que sem dúvida tem um papel central no mundo, negá-lo seria absurdo. Parece-nos que o Mercosul tenha uma oportunidade de um acordo com a China é algo que vale a pena”, disse a ministra.

O México é outro alvo, já que o grupo pode aproveitar sua eventual ruptura comercial com os Estados Unidos. “Nesta realidade que tem, o México entendeu que talvez tenha olhado demasiado para os Estados Unidos e descuidou um pouco o vínculo rumo ao sul. E como tal é uma oportunidade para todos nós”, afirmou a ministra.

Uma delegação mexicana visitará proximamente Buenos Aires para discutir questões agrícolas, confirmou Malcorra.

Por outra parte, o Mercosul e a União Europeia estão decididos a cristalizar neste ano um acordo de livre-comércio longamente negociado. “Há uma grande convicção das duas partes de que este é o momento para fazer a negociação”, disse a ministra argentina. “A intenção por parte da União Europeia é tratar de fechar um acordo o mais rápido possível. Se fosse possível nesse mesmo ano, embora sejamos conscientes de que terminar todos os detalhes é pouco provável, [mas] avançar pelo menos em relação ao marco político durante o ano.”

Representantes técnicos dos dois blocos buscarão fechar detalhes sobre o possível acordo na próxima semana na capital argentina.

O Mercosul também deu recentemente os primeiros passos para um eventual acordo com a Aliança do Pacífico.

Fonte: Associated Press